Diário de Ourinhos

envie sua pautahoroscopo

Notícias

Mulher é morta a marteladas na Vila Nova Sá

O crime bárbaro foi registrado na manhã de sexta-feira (6). O principal suspeito do homicídio é o namorado da vítima, que está foragido

publicado em 7/7/2012 enviar para um amigoComentarImprimir notícia

Resquícios de sangue foram encontrados no martelo usado no crime

A sexta-feira (6) começou sombria nas imediações da Vila Nova Sá, com a notícia de um homicídio bárbaro que aconteceu na Rua Antonio José de Souza, próximo ao CR de Ourinhos (Centro de Ressocialização). O único suspeito do crime é o namorado da vítima, que esta foragido.

O Diário apurou informações com o delegado do caso, titular da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) João Ildes Beffa, que destacou a brutalidade do crime que aconteceu por volta das 6h. A Polícia Civil foi acionada as 9h, quando o corpo de Lenilda Nascimento Pontes foi encontrado pelo chefe de trabalho do principal suspeito, Celso Ignácio Primo.

De acordo com João Beffa, o corpo foi encontrado ainda sem rigidez, o que aponta que o homicídio aconteceu a poucas horas. O local do crime estava chocante: muito sangue por toda a parte, sinais de luta corporal entre duas pessoas e uma poça de sangue com um martelo, o principal objeto do assassinato. A casa pertence a Celso Ignácio, namorado de Lenilda.

“Havia muito sangue na parede, na cama, na cortina, no chão, e depois que a perícia fez o trabalho no local nós pudemos observar que a vítima tinha muitas lesões na cabeça principalmente no rosto, então tudo indica que ela foi primeiro esmurrada, e depois sofreu pelo menos um golpe na testa com o martelo. Mas ainda não é possível estabelecer ao certo as lesões porque quem vai dizer isso é o médico legista, no exame necroscópico”, afirmou Beffa.

Celso não foi encontrado em sua casa, que foi encontrada aberta. O mesmo fugiu, deixou seus dois filhos que estavam na casa com sua ex-mulher na cidade de Manduri e ainda não foi localizado. “Celso é funcionário de um restaurante da cidade, e o que chamou mais a nossa atenção foi que amanhecendo o dia ele ligou para seu chefe dizendo que ‘tinha feito uma coisa errada’ e que iria fugir, e por isso não iria trabalhar, ia esperar o transcorrer de 48 horas para ver o que ia fazer”.

Como seu chefe necessitava da sua presença no trabalho, pois a equipe tinha um compromisso, o mesmo foi procurar por Celso em sua casa. Ele encontrou o local aberto, e logo localizou a vítima caída no quarto já sem vida.

“Ele fugiu, deixou a casa aberta e todos os indicativos da autoria recaem sobre o Celso. A vítima Lenilda era separada, Celso também, e segundo consta por informações de vizinhos, do chefe e de amigos, o casal mantinha um namoro muito conturbado. Eles discutiam muito, com muitas idas e vindas, então ele é o principalmente suspeito da autoria do crime”, relatou o delegado.

Até as 14h desta sexta-feira, a Polícia Civil estava em diligencias para saber mais informações de Celso e seu paradeiro. Ao ir embora de Ourinhos, o mesmo levou seus filhos até a casa de sua ex mulher em Manduri e também entrou em contato com a sua família. “Uma viatura foi para Manduri para buscar a ex mulher dele e os dois filhos que estavam com ele na casa para que eles possam ser ouvidos por mim. Mas segundo informações ainda extra-oficiais, ele teria confessado o crime a sua ex mulher e disse ainda que estava fugindo”, concluiu. A Polícia Civil continua investigando o caso e até o final da edição Celso não havia sido localizado.

 enviar para um amigoComentarImprimir notícia

Diário de Ourinhos