Diário de Ourinhos

envie sua pautahoroscopo
Blogueiros

Urbano Gentil

www.diariodeourinhos.com.br/urbanogentil
por Gustavo Ferreira Martins Gomes
ago   201124

gentileza

Postado em geral

Os dicionários, quando apresentam o verbete "gentil", falam de gentileza, cavalheirismo, elegância.

Mas não falam de uma possível raiz da palavra. Gentil é, também, "portar-se como gente", isto é, comportar-se de forma que se diferencie do comportamento animal.

Ser gentil é, portanto, um ato muito difícil. Não é apenas tratar as pessoas com educação, com polidez.

Ser gentil é conseguir ser delicado, ser simpático, mesmo quando as condições não são favoráveis. Reagir com carinho quando são carinhosos conosco é tão simples e instintivo quanto ser agressivo quando nos são agressivos. Este é nosso comportamento animal.

Para sermos gentis, de fato, é preciso colocar à prova nossa capacidade de sermos sensíveis, simpáticos, apesar de estarmos sendo tratados de forma hostil.

Nem estou falando de "oferecer a outra face", lição da Bíblia que pouca gente consegue seguir (nem seus maiores leitores). Estou falando de usar argumentos para convencer que a agressividade não é a melhor ferramenta.

E, talvez, um dos maiores e melhores argumentos, muitas vezes, é o sorriso.

Você já percebeu a diferença que faz um largo e generoso sorriso ao iniciar uma conversa?

Outra arma fundamental para desarmar as hostilidades é assumir os próprios erros. No trânsito, você não é o melhor piloto do mundo, você não é infalível e você não é o único no planeta que está atrasado e que tem uma agenda apertada. E, sim, você também está atrapalhando os outros; a sua parada em local proibido por apenas "um minutinho" não é menos incômoda do que a "paradinha" dos outros. A sua fila dupla não é mais compreensível que a daquela madame. O seu papelzinho jogado no chão não entope menos os bueiros. A sua "furadinha" na fila não incomoda menos.

Às vezes você erra. E se você assumir que a culpa pode ser sua, o mundo pode até entendê-lo. E se você procurar entender que o erro dos outros não é "a maior estupidez de todos os tempos" e que o outro ser humano é tão humano e falível quanto você, é bem capaz que você aprenda a desculpar.

Colocar-se no lugar dos outros, enfim, a tal "empatia", é o primeiro passo para ser gentil, ser gente, ser humano, e, consequentemente, ser mais feliz.

Uma cidade pode ser melhor ou pior, principalmente, pelo grau de gentileza de sua população. As cidades turísticas investem fortunas na capacitação das pessoas para atenderem bem os visitantes. Quando as pessoas se sentem bem vindas, sempre falam bem do local.

Imagine como pode ser gostoso viver em uma cidade em que as pessoas falem "bons dias" sinceros.

Por onde começar? Experimente exercitar a gentileza. Dê a vez para o carro que está tentando sair da vaga. Compreenda a falha alheia. Sorria e agradeça quando alguém te atender na loja (mesmo que a pessoa não sorria). Explique com paciência. Ouça com atenção. Espere um pouco. Seja mais carinhoso e menos folgado.

As cidades precisam menos de leis e mais de gentileza (sugiro uma campanha pela gentileza urbana).

.

1comentáriosclique e comente

Diário de Ourinhos